domingo, 25 de novembro de 2012

NÃO TÃO SÓ.


Eu gosto de estar acompanhada; seja por um ou dois amigos, por casais ou por um grupo maior de pessoas. Gosto bastante da presença dessa gente dançante, gente de olhares dispersos e despretensiosos. A mesma gente do papo-furado. Desafogo a vontade do álcool – que não sei de onde veio (nem para onde vai) -, do churrasco, de perder a linha da dieta. Deixo na mesinha de bar o infortúnio da segunda-feira regado ao estresse do dia-após-dia. E se tudo não vira samba, no mínimo, termina bem.

Termina bem, mas não termina lá. Em casa, descarrego o resto. Lavo o cabelo cheirando à fumaça, tiro a maquiagem, amiga e - acredite! - confidente. Me faço um carinho. Converso sozinha com o espelho. Sorrio, de cara lavada.

Segue, na noite seguinte, a constância dos telefonemas. “Começa às 23h! Confirmado?” e eu já nem sei. Só descubro quando chego lá. Mais gente tagarela, mais cerveja amarga, um papo mais furado e aquelas risadas de sempre. Um pouquinho mais de silêncio, porque ninguém aqui assiste jornal e falar mal dos outros já tá ficando feio, mesmo pra quem bebe. Acho que tô querendo um banho, talvez um filme. Me despeço mais cedo e me encontro um pouquinho comigo no retrovisor do carro. Engraçado.

O telefone toca, dois dias depois. Penso nos constantes convites de meia-noite em diante e, por fim, a ligação cessa. Me pergunto se não tô ficando velha. E, logo, se tem alguma coisa de errado nisso. É que tenho muito medo, medo mesmo, de ficar só. No jantar de hoje, sou eu, comigo mesma. Comida chinesa (não conheço quem goste!). Escovo os dentes; me olho no espelho com a espuma ainda na boca: vai ver que, enquanto eu estiver aqui, eu não fico sozinha, não. 

Começo a achar que, na verdade, o que eu não posso mesmo é me perder de vista.

5 comentários:

  1. E não é que ela escreve MUITO bem! O.o haha
    parabens, otimo texto, curti msm... continua assim! ;*

    ResponderExcluir
  2. Amo a blogosfera e tô enfiado nela desde 2008... rsrs
    É ótimo ver vc por aqui! E ótimo, que finalmente decidiu tirar seus arquivos, do computador, das pastas com nomes herméticos e colocá-los aqui, pra quem gosta, gostar!
    Primeiramente: Parabéns demais pelo texto, porque não se assumiu antes? rs Lindo-Lindo.
    Agora, sobre o texto: Não estamos ficando velhos, só estamos nos cansando do mesmo papo, dos mesmos lugares. É tudo tão previsível quanto as animações para crianças de até cinco anos.

    PS. Amo comida chinesa!

    ResponderExcluir
  3. Que máximo, Laysinha!
    Amei o texto. Estarei sempre por aqui!
    Sucesso!

    ResponderExcluir
  4. Muito bom. Suas palavras são muito íntimas e verdadeiras.

    ResponderExcluir
  5. O cotidiano começa dentro de nós! Optar pelo melhor sabor é tarefa diária.

    ResponderExcluir

Deixe o seu traço riscar!