sexta-feira, 31 de julho de 2015

ELA - A MODA - E EU.

Confesso que era difícil pensar em moda sem logo associar a ela uma conotação negativa. Desde muito nova, comecei a me interessar por diversos blogs com esse foco e, assim, a passar horas à fio em frente à tela do computador. Mas, embora eu admirasse o que encontrava, sentia que a minha realidade era distante demais da realidade das blogueiras que eu acompanhava. E, acredito que muitas pessoas se sintam assim.

Hoje, um pouco mais velha, e sem ter deixado de acompanhar o trabalho das blogueiras com as quais me identifiquei, percebo que a moda pode ser muito mais acessível e interessante do que ela me parecia ser. 

Essa mudança de pensamento aconteceu porque entendi que a moda nem sempre (ou quase nunca) é sinônimo de futilidade. Ela faz parte da história, da cultura, da expressão do meio e, o mais importante, da expressão individual da nossa personalidade. É bacana demais notar que o que vestimos transmite a mensagem exata que queremos dizer.

A sustentabilidade tem abraçado a moda há muito tempo. E também, há muito tempo, as grandes marcas tem cedido espaço nos guarda-roupas para outras. Há lugar para todos os gostos e há acesso para todos os bolsos. Não é ótimo?

Então, venho contar para vocês que decidi trazer um pouquinho de moda para cá, embora não seja uma especialista sobre o assunto. Preparei tags que, aos poucos, virão ao ar; e um projeto de moda inusitado que tem me deixado ansiosamente feliz está a caminho! Conto mais sobre ele em um próximo post. Aceito sugestões com o coração aberto! 



E quanto há você? Qual é a sua relação com a moda?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu traço riscar!