terça-feira, 5 de janeiro de 2016

O QUE DEIXAR EM 2015: A NOSSA LISTA!

A virada do ano já aconteceu, mas isso não significa que ainda não haja tempo para repensarmos nossas metas e expectativas para 2016, né? Afinal de contas, ainda estamos na primeira semana de Janeiro. A boa notícia é essa: dá tempo! Hoje, o Bruno e eu estávamos conversando exatamente sobre isso: metas. Eu gosto muito dessa ideia de início. Me faz pensar em chance, oportunidade. Então, acabo sempre fazendo uma listinha de coisas que quero realizar ou conquistar no ano. Ele, o Bruno, prefere não estipular metas justamente por se sentir mais livre assim. Ou seja, a qualquer momento, você pode querer fazer qualquer outra coisa, sem peso, sem culpa. A verdade é que a gente pode encarar as metas do jeito que a gente quiser, e tudo bem!

Então, pensei o seguinte: em fazermos uma lista! Adoro listas. Mas, não uma lista de metas para 2016, mas uma lista de o que deixar em 2015! Vem ler?


As minhas escolhas:

• Má alimentação: É simples, a coisa está feia mesmo para o meu lado. Imagine uma pessoa viciada em hot-dogs e molho de maionese. Sou eu. Opa, era!

• Postergar: Deixar as minhas responsabilidades para a última hora sempre me prejudica. De fato, não preciso deixar para amanhã o que poderia tranquilamente fazer hoje.

• Inércia: Procurar os amigos, entrar em contato com a família, ir ao cinema, à praia, conhecer gente nova ... enfim! Sair de casa e ver as coisas acontecerem.

• Insegurança: Poxa, ela faz mal à qualquer um. Para 2016, mais confiança, mais força, mais amor-próprio!

• Dependência de opiniões: O que tem um pouco a ver com a insegurança. Mais decisões próprias, por favor, Laysla!

As escolhas dele:

 Sedentarismo: "Nossa, que vontade de correr! Mas, poxa, olha essa cama." - Nada disso, né?

 Cigarro: Uma das coisas mais difíceis é lidar com um vício. Essa é uma das expectativas mais sérias! Vamos torcer juntos para que fique mesmo para trás.

 Preguiça: Alguma coisa como "Nossa, olha essa cama!" outra vez. Hahaha ...

• Pessimismo: Esperar mais por coisas boas. Nem tudo precisa ser tão denso. Mais leveza para nossas vidas!

• Insegurança: Medo do presente, medo do futuro ... A gente nunca pode prever. Deixar aquilo que não está no nosso controle acontecer naturalmente é a chave.

Claro, se não houver desafio, qual é a graça?! Espero que vocês também abandonem muitas coisas de 2015: tudo o que pesar, tudo o que não acrescentar. Que 2016 seja pura luz! Aproveita e conta pra gente o que você quer abandonar. Quem sabe a gente não faz um listão coletivo?

Beijos e até!

Um comentário:

  1. Perfeito! Ao invés de pensar densamente no 2016 por que não pensar: que hábitos deixar para trás ? Vamos esvaziar os potes? ����
    É um big desafio!

    ResponderExcluir

Deixe o seu traço riscar!