quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

VAI ME DIZER QUE VOCÊS NÃO BRIGAM?! DIFERENTÕES!


A verdade é que quando duas os mais pessoas se juntam e convivem em um mesmo ambiente, a probabilidade de acontecerem certas coisas paranormais - louças sem lavar, toalha molhada em cima cama, chinelos debaixo da mesa da sala, luz do banheiro acesa sem razão, cama desarrumada, moedas espalhadas pela casa, pingos de água do banho no chão do quarto, entre outros - é enorme. Imensa. Ilimitada. 

Se engana quem supõe que não enfrentamos problemas de oscilação de humor e impaciência aqui em casa. E, para ser sincera com você, não poderia ser diferente! Duas pessoas criadas cada uma à maneira de sua própria família, frutos de um núcleo familiar bastante diferente um do outro, com experiências pessoais únicas e, de repente, resolvem dividir a mesma cama, disputar o mesmo controle de TV e a mesma vaga no chuveiro. Existe alguma chance de não surgirem divergências em algum momento?! Ah, eu duvido!

Ontem eu estava assistindo aos vídeos da Júlia, Jout Jout Prazer, no YouTube. Me deparei com um que se encaixa bem a esse assunto: aborrecimento com os outros. A Jout Jout lançou uma frase, que ouviu da mãe num dia de irritação, que a fez pensar sobre. E fez o mesmo comigo. A tal frase é essa: "O que está acontecendo em mim que está fazendo com que essa pessoa me aborreça?".

Cara, se você analisar bem direitinho essa frase, uma de suas conclusões pode ser como a minha: se você está aborrecido com uma outra pessoa (seja o seu par, sua amiga, sua manicure), há alguma coisa acontecendo com você. Não com ela. Você é totalmente responsável por se deixar aborrecer, ou não, com qualquer motivação exterior. Só você! Trazer essa reflexão para o dia-a-dia, quando você vê aquela camisa jogada em cima do sofá (e, claro, não é a sua!), por exemplo, pode te ajudar a ter uma reação um pouco menos explosiva. E esse é um meio muito dos bons de fazer com que as coisas deem mais certo ainda no cotidiano. 

Não é porque você ama o seu parceiro ou parceira que vocês nunca irão se desentender, né? Minha mãe me ama mas nem por isso me tratava com delicadezas quando eu entrava com o tênis todo porcão dentro da casa dela. Na verdade, ela era bem indelicada mesmo (você está lendo isso, mãe?)!

Ah, assista ao vídeo da Jout Jout (maravilhosa!) aqui, ó:


Beijos e até!

6 comentários:

  1. Parabéns pelo blog. E um abraço ao amigo de faculdade Bruno...

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, Francine! Abraço dado, na certa. :)

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Textos muito legais!!! Ah, aliás, dona Ana e delicadeza... Kkkkkk ela é divertida e pouca coisa estressada. Beijo pra vcs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, amiga! Fico muito feliz!

      Pois é! Dona Ana ... Hahaha! Beijos, flor!

      Excluir
    2. Obrigada, amiga! Fico muito feliz!

      Pois é! Dona Ana ... Hahaha! Beijos, flor!

      Excluir

Deixe o seu traço riscar!