segunda-feira, 21 de março de 2016

PERIGO: VIDA FINANCEIRA DE RECÉM-CASADOS.

Se você não tiver nenhum problema quanto a isso, por favor, entre em contato comigo. Planeje uma palestra. Divida as lições em tópicos. Nos ajude a quebrar nosso cartão de crédito. Juro que sou uma boa aluna! 


Quando eu ainda morava na mesma casa que o meu pai, a questão do DINHEIRO parecia bem menos assustadora do que é hoje (embora nunca tenha sido um mar de rosas, na verdade). Confesso que a minha organização financeira é bastante questionável. Afinal de contas, eu não penso duas vezes quanto a investir o meu dinheirinho em cachorros-quentes (nesse caso, muitos cachorros-quentes). Você se identifica?

Hoje, vivendo com o Bruno, nós dois percebemos que a responsabilidade em tomar conta de nossas carteiras dobrou. São várias as despesas, e quem, senão nós, vai pagá-las ao final do mês? Na vida de um casal, penso que vários gastos devem ser avaliados, já que as contas fixas são uma realidade preocupante. Luz, água, plano telefônico, financiamento de automóvel ou imóvel, e por aí, vai! Basta que em um mês a gente perca o controle da situação, para que os meses seguintes sejam comprometidos também. Nessa brincadeira - é triste assumir - mas já precisamos negar convites de amigos para bares, festas e até mesmo pequenas viagens. Ainda não nos livramos por completo dessa cruel realidade.

Pode ter certeza de que se você não precisa se preocupar com  nada disso, você é uma pessoa de sorte! Caso você seja um reles mortal, como eu, sugiro que você comece a reduzir o número de coxinhas por semana. Não sou nada expert no quesito controle financeiro (como já perceberam), mas dada a necessidade, li algumas coisas e procurei meios de como, daqui para a frente, nos organizarmos melhor nesse sentido. Pensei que algum leitor poderia se identificar. Algumas dicas que encontrei foram:

1) Ter um objetivo financeiro: Se você estipular que certa quantia servirá para algo específico, isso faz com que a economia seja mais atraente, entende? Se houver planejado uma viagem no próximo período de férias, por exemplo, não vai sofrer tanto em guardar uma quantia para esse fim.

2) Acompanhar a fatura do cartão: O cartão de crédito funciona mais ou menos como o herói Hulk. Ele está tranquilo, se controlando, cabendo nas roupas. Mas, se você dá um vacilo, ele mostra o seu "eu" incontrolável. Não brinque com esse cara. Sério. Ouvi uma vez uma economista explicando que o uso do cartão deveria ser apenas para coisas que você não pode (de maneira alguma) pagar à vista. Ênfase para "de maneira alguma".

3) Usar listas de compras: Esse negócio de colocar coisas aleatórias no carrinho de compras é indiscutivelmente para uma fase da vida: a infância!

4) Controlar os desperdícios: No começo do casamento, erramos muito nisso. Comprávamos comida além do necessário e não dávamos conta de consumi-las antes da validade. Isso é negativo em vários aspectos.

5) Criar fundos para emergências: Elas podem acontecer a qualquer momento! No que se refere à saúde, principalmente. É preciso que a gente guarde uma quantia mensal, de pouco em pouco, para suprir necessidades como essas.

Coisas que, honestamente, são difíceis de fazer, embora sejam simples de entender. Pelo menos, para nós. O objetivo é levar a sério aquilo que construímos (ou obtemos) com nosso esforço diário. Quando você precisar negar um convite de um amigo para ir naquele bar bacana (e eu espero que isso nunca aconteça), você vai entender que essas dicas são fundamentais. Já dizia a velha canção: dinheiro na mão é vendaval. Mas, nenhum dinheiro na mão é certeza de uma futura abstinência por cachorros-quentes. Não estou disposta a encarar essa realidade. Portanto, ponderemos!

Beijos e até!

5 comentários:

  1. Legal o texto Laysla...me amarro no seu blog..abraços

    ResponderExcluir
  2. Aaaah, fico muito feliz com isso, Fellype! Obrigada mesmo!

    ResponderExcluir
  3. Oi professora, me identifiquei muito e desse jeito mesmo quando morava com meus país nunca pensei que ele tinha que se preocupar com tantas contas e ainda nos agradar. Não consigo mais parar de ler

    ResponderExcluir
  4. Oi professora me edentifiquei muito, nunca imaginei que meu pai com aquela cara de despreocupado tinha que pagar todas aquelas contas e ainda agradar os filhos e minha mãe kkk hoje sei Oque ele passou.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Viu só, Ju?! A responsabilidade é imensa! Vou te contar que as vezes dá vontade largar tudo e virar ... hipppie! HAHA Brincadeirinha. Beijos, baby!

      Excluir

Deixe o seu traço riscar!